CAPA JERUSALEM DESTRUIDA2.jpg
Clique nas capas para ler o primeiro capitulo
EU CIDADE B(1).jpg
capabruxasimplissimo.jpeg

QUATRO ROMANCES NA TRILHA DO REALISMO FANTÁSTICO

JERUSALÉM DESTRUÍDA e AS TRANÇAS NO PODER ja estão disponiveis, nas versões digital e impressa em vários sites (amazon.com.br , google play, apple stores...) e em algumas livrarias do Rio, São Paulo e Belo Horizonte. Em dúvida, clic em contato para se informar. EU, CIDADE - UMA HISTÓRIA EM DOIS TEMPOSUMA BRUXA NA JANELA estarão disponíveis em breve

ARTIGO

 PANDEMIA E DEMOCRACHIA

           Não escrevi errado. É isso, a democracia chia na pandemia. Quando um vírus ameaça uma matança geral mundo afora, querendo repetir a gripe espanhola que ceifou a vida 50 milhões para uns, 100 milhões para outros, algo mais do que as duas guerras mundiais combinadas, o direito de ir e vir, de dispor do próprio corpo como bem entender são os primeiros a ir para o beleléu. Praticamente ninguém protesta, quando se sente o bafo do primeiro cavaleiro do Apocalipse. Poucos levantaram a voz contra uma declaração de tal calibre do governador João Dória de São Paulo ao impor a quarentena em todos os municípios do Estado.

            - Saímos do campo da recomendação. É um decreto. 

TOQUE AQUI PARA LER O ARTIGO INTEIRO

Teatrinho rápido e rasteiro

Papo virótico

     O Corona, dirigindo um Posch, encontrou seu primo  Sars na beira da estrada de muleta e rosto de velho carcomido.  Abriu a janela, tapou o nariz com um lenço de papel e perguntou:

     Corona - O que houve?

     Sars- Olha, eu quase só matei pobre nos cafundós da Africa e  da Asia e fiquei assim. Imagine você  com essa matança indiscriminada, levando para o beleléu até banqueiros. 

     Corona - Novos tempos, meu caro. Limpeza da espécie começa acabando com a velharia. O Adolfo e seus imitadores de araque estão comigo.

Fecha-se o pano. Sorte que o teatro está vazio.

Toque para mais teatrinhos

SIGA-ME

  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • c-youtube